Pandemia na não monogamia, uma questão de amor.

Pandemia: uma doença que atinge o planeta tudo. O tópico que preocupa quase todos neste momento é o famoso Covid-19 ou Coronavirus, que ja chegou ate quase todos os países do mundo, e se soma a muitos outros assuntos que já tínhamos pendentes em termos de saúde.

Ha informação em todo luar

As indicações da Organização Mundial da Saúde para minimizar a taxa de contágio são simples: lave as mãos conscientemente, com a maior frequência possível; evite tocar o rosto ou outras membranas mucosas e mantenha-se longe dos potenciais infectados.

Essas recomendações levaram à declaração de quarentena em vários países, dentre os quais se destacam os mais afetados: China, Espanha e Itália. Alguns governadores dos Estados Unidos adotaram medidas semelhantes.

Uma avenida em Caracas quase deserta. Foto: Ances Diaz (@ancesdiaz)

Na América Latina, a quarentena foi também decretada desde o início: Argentina, Peru e Venezuela foram os primeiros a fazê-lo, conseguindo (até agora) manter uma baixa taxa de propagação do vírus.

Isolamento social: uma questão complicada

Cumplir com o isolamento social reduz drasticamente a velocidade com que o vírus se espalha. Até agora se sabe que uma pessoa infectada, em média, se continuar com uma vida social normal, infectará mais de 400 pessoas apenas em um mês.

Reduzir esse contato para 50% do normal faz com que ele infecte apenas 15. Reduzir esse contato para menos de 25% pode diminuir a propagação para “apenas” três pessoas. Portanto, muitos governos estão optando pela quarentena obrigatória.

Isolamento é a melhor medicina que temos

Mas ficar isolado por algumas semanas ou um mês não é fácil. O fator dinheiro é bem importante (é precisso trabalhar) e, às vezes, a convivência com pessoas que ocupam a mesma casa não é tranquila. Bom, a verdade é que vírus se preocupa muito pouco com isso e va infectar todos sem pider licença e sem distinções e não forem tomadas as devidas precauções.

Por menor que seja o espaço, por mais difícil que seja, é essencial ficar em casa e sair apenas para resolver problemas vitais: comprar alimentos ou medicamentos. Nesses casos, ficar um metro longe dos outros dificulta que a pandemia nos alcance diretamente.

É muito importante ter em mente que o isolamento em casa não apenas evita a infecção em si, mas também evita que o vírus use o nosso corpo como meio de transporte; portanto, ficar em casa, mais do que uma escolha, é um dever do cidadão e uma maneira bem efetiva de salvar vidas.


Fazer sexo potencializa a pandemia?

Qualquer contato físico com uma pessoa infectada ou suspeita é perigoso. Embora o Covid-19 não seja um vírus sexualmente transmissível, é facilmente disperso no ar e está presente na mucosa associada à respiração.

Por esse motivo, desde que seja mantida a indicação de isolamento social, é importante ter relações sexuais apenas com o parceiro estável.

E se formos uma trieja ou outro tipo de polécula?

As indicações são as mesmas, independentemente do sexo, orientação sexual ou número de pessoas envolvidas no relacionamento: a relação sexual não é a via direta de contágio, mas é uma situação na qual o vírus pode passar facilmente de um para o outro.

No caso de pessoas poliamorosas que não compartilham o mesmo lar, a reunião com os membros da polécula terá que esperar. Infelizmente para eles, o isolamento é a melhor maneira de impedir que a pandemia crescer.

Nesse caso, manter distância é a melhor maneira de mostrar amor.

O que acontece com a comunidade de swinger?

Swingers devem fazer uma pausa obrigatória em seu estilo de vida. Como os swingers são pessoas que não compartilham laços profundos e apenas ocasionalmente jogam a troca de casais, é altamente improvável que eles tenham um lar comum com outros swingers.

Portanto, os swingers não têm escolha senão abster-se de suas práticas sexuais e esperar que as coisas normalizem. O mesmo vale para todas as outras formas de relações não monogâmicas nas quais não há coabitação permanente.

O erotismo é então paralisado?

Não. O erotismo e a sensualidade podem se manifestar à distância. Felizmente, as redes sociais e a Internet nos permitem desfrutar de imagens, sons e até mesmo contatos ao vivo com outras pessoas. O que está paralisado são as reuniões cara a cara.

Casas de swing ficam fechados

No momento, comunidades poliamoristas, BDSM e clubes de troca de casais em todo o mundo cancelaram eventos e fecharam suas portas. Alguns hotéis de trânsito ofereceram espaços para funcionar como centros de saúde. O slogan é evitar o contato físico entre membros de qualquer comunidade.

Sim, é difícil, mas a ocasião merece. É uma emergência global.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *