Sexo que não é poliamor

Sexo é muito importante na vida das pessoas e para a consolidação dos laços sexoafetivos, mais na verdade, as relações sexuais não levam necessariamente ao amor. Há amor sem sexo e também sexo sem amor.

Poliamor não é sinônimo de suruba (sexo entre muitos) ou swinger (troca de casais).

Um caso clássico de sexo sem amor é conhecido como a profissão mais antiga do mundo que é um modelo de negócios em que duas ou mais pessoas fazem sexo em troca de dinheiro. Do outro lado, temos também um outro extremo onde existe amizades profundas, com grandes sentimentos de amor, mais sem desejo sexual, ou seja, pessoas que não praticam de sexo.

Normalmente, com dinheiro envolvido ou não, quando o sexo é praticado sem sentimentos profundos entre essas pessoas, falamos de sexo recreativo.

PUBLICIDADE

Ao contrário das surubas ou do mundo dos swinger, centrado na prática do sexo recreativo, o poliamor implica fortes vínculos emocionais entre as pessoas envolvidas. Isso fica claro quando analisamos a palavra poliamor, que significa “vários amores”.

Nós não julgamos aqueles que gostam de sexo recreativo; ao contrário, gostamos e procuramos que as pessoas sejam felizes sem prejudicar terceiros e que possam desenvolver sua sexualidade livremente e sem restrições, porem esse esclarecimento é bom para entendermos como o poliamor se insere no vasto e diverso mundo das relações afetivas e vai muito além do sexo.

Eduardo Parra Istúriz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *